Qual o seu conteúdo?

Neste mundo digital, até o que é conteúdo muda rápido!

Neste mundo digital, até o que é conteúdo muda rápido!

Não é novidade para ninguém no mundo, principalmente do corporativo, de que a internet mudou e vai mudar ainda muito mais a vida, os negócios, a comunicação entre pessoas e negócios, as relações empresariais e interpessoais como um todo. A pergunta que fica é: qual o conteúdo que você oferece, ou ainda vai oferecer?

Quando falamos de conteúdo, invocamos a necessidade de pessoalmente a pessoa saber quem ela é, qual seu melhor talento, como ela se expressa e se vende ao mercado, ao mundo, entre outras coisas. Quando citamos conteúdo, também se trata de verificar no mundo corporativo se a empresa já se posiciona estrategicamente neste cenário midiático novo, no qual o seu cliente não é mais um mero recebedor de informações, promoções e coisas do gênero!

Conteúdo também pode ser analisado aqui sobre o aspecto do que sua empresa, ou você mesmo, está disponibilizando em seus sites, blogs, redes sociais. Que temas aborda, com que profundidade, qual o interesse público, ou do público? Quais formatos utiliza para que sua mensagem alcance o objetivo proposto. Aliás, você tem algum planejamento estratégico sobre tudo isso?

O fato é amigos e amigas, que neste mundo que muda a cada minuto, o conteúdo deixou de ser apenas o que você publica, com que texto, foto ou periodicidade. Mais que isso, conteúdo é a qualidade, o formato, e fundamentalmente, que o que divulgar ou vendes tenha efetivamente verdade e compromisso. Pense nisso!

* Salvador Neto é jornalista, empreendedor, coach em comunicação, marketing, liderança e carreira. Enfrentou muitas barras pesadas na vida até aqui, e continua enfrentando. Se vendendo como é. 

O importante é saber se vender…

Não seja o que o "mercado quer", e sim quem você é de fato

Não seja o que o “mercado quer”, e sim quem você é de fato

Não, não é nada disso que você pode estar pensando não… Nada a ver com as falcatruas e roubos em Brasília e país afora, mas tudo a ver com a sua carreira, seu sucesso, seu futuro e bem estar. Saber se vender, ou melhor, venda-se, deveria ser matéria obrigatória desde que o ser humano se entende como gente.

Como sempre disse em minha já longa carreira, em palestras, treinamentos e eventos, o problema do mundo está na comunicação. Nos comunicamos mal, ou então comunicamos mal e mentirosamente, o que acarreta danos imensuráveis à vida de milhares de pessoas em guerras idiotas, ou à sua carreira. Tudo gira em torno da comunicação, pense nisso.

Vamos ao ponto. Além da comunicação – é sabido que a timidez, o medo de falar em público, de expor ideias, dificulta muito a vida desde a escola, em família, no mundo do trabalho não é? – a necessidade de se “transformar” em alguém que o mercado, a família, o cargo, etc, etc, aceitem são inibidores do real sucesso que é estar bem consigo mesmo. Desestressado. Sendo você mesmo, e sendo aceito.

Defendo sempre que cada ser humano seja ensinado a se valorizar. Conhecer-se muito bem a si mesmo, com seus defeitos, virtudes, talentos, saber o que tem de melhor e de pior. Com base nisso, compreender que sua formação profissional deve seguir esse diagnóstico de vida, de si mesmo. Tenha a certeza, sua vida será mais leve. Sem máscaras profissionais, familiares. Você sendo você, e se colocando no mundo nas áreas em que seja bem vindo, requerido, e ao final, respeitado.

Ao se conhecer profundamente, o ser humano saberá se vender melhor, e terá extrema segurança de se mostrar para os cargos que quiser. Terá mais facilidade em encarar seus medos, e sentirá poder suficiente para conquistar seu espaço. Nada é pior que se vender como aquilo que não é, ou que tal vaga ou nicho precise, sem que você tenha aptidões, conheça, goste ou seja preparado para tal. A vida lhe cobrará isso, principalmente em sua saúde.

Venda-se como você é. Conheça-se muito bem a si próprio. Capacite-se no que desejar fazer e sentir-se feliz em fazer. Assim, contribuirá para a sua vida ser a melhor possível, será feliz, e certamente, dará ótimos resultados às empresas, oportunidades de trabalho e renda, e até para a sua família e relações afetivas. Pense nisso!

* Salvador Neto é jornalista, empreendedor, coach em comunicação, marketing, liderança e carreira. Enfrentou muitas barras pesadas na vida até aqui, e continua enfrentando. Se vendendo como é. 

A carreira vai mal, quer mudar? O coaching de carreira pode ajudar muito

SalvadorNeto-Comunicacao-o-que-e-coaching-e-o-que-ele-pode-fazer-por-sua-carreiraO Coaching de carreira é a profissão que tem como principal objetivo auxiliar pessoas que estão no processo de mudança em suas carreiras. Um coach ajuda profissionais a identificarem com clareza o que almejam no mercado de trabalho e, através disso, criam e desenvolvem estratégicas para chegar as mesas.

O Coaching é indicado para profissionais que desejam um redirecionamento em suas carreiras, alinhando vida profissional e pessoal, equilibrando-as de acordo com suas prioridades.

O coach pode trabalhar com pessoas físicas ou empresas, e tem sido de extrema importância no mercado de trabalho, sendo que em dois anos a procura por coachings cresceu cerca de 400%. Sua atuação ocorre através de encontros, onde o coachee irá expor seus problemas e suas preferências em sua vida profissional.

A cada sessão o cliente recebe um plano de metas, as quais deverão ser cumpridas até o próximo encontro. Cumpridas as metas, coach e coachee voltam a se encontrar e estabelecem quais serão as próximas metas, além de analisar o quanto o objetivo do profissional foi atingido.

Quando o coachee inicia um processo, ele deverá ter em mente quais os seus objetivos e suas preferências profissionais. Encontrar um rumo profissional, ascender na carreira, melhorar o relacionamento interpessoal e ter habilidades para liderar grandes equipes são as necessidades mais comuns de um profissional que inicia um processo de coaching.

Este processo é dividido em etapas, como já foi dito anteriormente, onde o profissional é auxiliado por um coach a desenvolver habilidades comportamentais e técnicas para atingir o resultado pretendido. O mesmo é levado a lidar com seus medos, o coachee passará a realizar atividades que antes julgava impossíveis.

Porém, o coaching se difere de técnicas da psicologia. Ele não lida com traumas ou problemas passados. Seu foco é solucionar o problema do profissional, sempre utilizando aprendizados anteriores para lidar com problemas futuros.

Com a grande competição do mercado de trabalho, o coaching de carreira tem se tornado essencial para muitos profissionais, oferecendo um apoio fundamental aos mesmos, auxiliando na forma de definir assertivamente suas metas e seus objetivos profissionais e, com isso, traçando estratégias para alcançar os objetivos traçados, em um curto espaço de tempo.

Fazer um coaching de carreira poderá auxiliar o profissional a definir claramente quais são as metas almejadas pelo mesmo. Sempre amparado por um coach, o coachee terá uma visão mais clara de quais obstáculos irá enfrentar, e saberá como lidar com os mesmos.

Também terá um fortalecimento da sua auto-estima e de sua confiança, adotando uma postura diferenciada com relação a liderança de equipes, com habilidades para se comunicar e tomar decisões. Por isso, o coaching de carreira tem se tornado essencial para muitos profissionais e empresas.

Nossa agência pode oferecer serviços de coaching de carreira com um dos profissionais mais reconhecidos e experientes do mercado, o jornalista e coach Salvador Neto. Sua larga e longa experiência em vários trabalhos, e na vida real, ajudou e ajuda vários profissionais a melhorarem suas carreiras.

Faça contato via imprensa@salvadorneto.com.br, ou ainda pelo fone (47) 88592204. O atendimento pode ser feito à distância por meio das ferramentas digitais.

Com informações do Guia da Carreira

Boas Ideias: Supermercado francês vende alimentos “deformados” com 30% de desconto!

SalvadorNetoComunicação-marketing-vendas-desperdício-alimentos-ideiasinovadorasNa luta contra o desperdício de alimentos, a Intermarchè, terceira maior rede de supermercados francesa, resolveu colocar às vendas os produtos rejeitados pelos produtores por má formação.

As frutas e legumes que eram jogadas fora pelos produtores passaram a ser compradas pelo supermercado e colocadas à venda com 30% de desconto, em uma área separada do mercado. Para rebater a rejeição imediata aos vegetais defeituosos, passaram a distribuir sopas e sucos feitos com esses produtos, para mostrar que eram tão bons quanto os bonitos e viçosos.

O resultado veio nos números. As lojas passaram a vender, em média, 1,2 toneladas de vegetais por dia e contaram com um aumento de 24% na circulação de clientes.

Do Ig Economia