Governança da Comunicação – Cinco dicas para implantação

Há seis meses escrevi artigo aqui (clique e leia) sobre o método que criei para garantir a gestão transparente e sustentável de empresas, órgãos públicos, personalidades públicas, políticos e todos os segmentos, a Governança da Comunicação, a qual chamo de GovCom. Com a crise da pandemia da Covid-19 mais do que nunca as organizações precisam da sua GovCom específica, adequada aos seus processos.

Sim, não existe uma “camisa” única para todos usarem, e a partir daí tudo se resolver na comunicação. É preciso foco, atenção, envolvimento, desenvolvimento das suas regras específicas, e mais que isso, acompanhamento permanente na execução da sua política de comunicação. Para dar uma ideia do que seja a Governança da Comunicação que defendo, seguem algumas dicas:

  1. Definir a gestão da comunicação como estratégica
    Se a comunicação não for a prioridade da gestão, não existirá Governança da Comunicação que dê resultado. Comunicação não é apêndice de nada como vários gestores imaginam e praticam. Foco somente no produto, no processo, nas vendas sem comunicação que funcione de forma harmoniosa, transversal e objetiva, não é o caminho ideal.
  2. Liderança genuína e participativa
    Outro passo importante, a definição da pessoa que vai liderar o processo da Governança da Comunicação, seja para gerir uma assessoria interna ou consultoria externa. O perfil precisa ser agregador, que goste de envolver as pessoas nas soluções, motivador, e claro, compreenda e goste dos processos de comunicação. Esta definição é fundamental.
  3. Da Portaria ao topo
    A cultura da empresa, organização, liderança e outros já se vê da portaria, a primeira “olhada”. Portanto, se há disposição de implantar uma política de GovCom, há que se envolva a todos no processo. Por isso, da Portaria ao Topo, pois todos devem compreender o que vai acontecer, como, aonde, quando e porque. Se um elo for esquecido, a engrenagem comunicacional vai emperrar em algum ponto. Participação, total e irrestrita, do começo ao fim, sempre.
  4. Treinamento
    Nos tempos modernos e totalmente interligados em que vivemos online com a vida correndo na palma das mãos em celulares e seus apps, nem seria preciso dizer que investir em treinamento, desenvolvimento e capacitação de pessoas é regra básica para a vida longa de qualquer negócio. Há que se nivelar o “time” todo, da Portaria ao Topo, para a compreensão da profundidade da comunicação em nossas vidas, e claro, na organização onde trabalham. Sensibilizar o “time”, certo?
  5. Tomografia Total
    Como quando vamos a um médico para saber o que temos com as nossas dores, de onde elas vem, assim precisamos fazer também com as organizações. Talvez um dos passos mais importantes para se implementar a GovCom na organização seja o que chamo de “Tomografia Total”. Um diagnóstico profundo da operação, novamente, mas agora inversamente, do Topo à Portaria. Identificar o “sentimento” das pessoas, os processos de comunicação em todos os departamentos, setores. Verificar o “nível” ou falta de, comunicação. Daí sairão os passos para que a Governança da Comunicação vá para o papel, e depois, para a sua execução.

Estas são algumas dicas que deixo a quem deseja ter a maior taxa de sucesso possível em seus empreendimentos, atividades, empresas ou organizações. A Governança da Comunicação que criei visa não resolver todos os problemas, mas reduzir drasticamente os ruídos que produzem problemas e doenças que inviabilizam muitas vezes negócios prósperos.

A Salvador Neto Comunicação oferece com exclusividade o método “Governança da Comunicação” seja como assessoria (implantação executiva) ou consultoria com acompanhamento do início ao final do processo com a entrega do “software” exclusivo ao contratante. Lembre-se, os tempos pós-pandemia serão duros, é preciso ser ainda mais competente, organizado e objetivo para sobreviver e continuar a liderar.

* Salvador Neto é um médico da comunicação experiente. Já tratou muitas doenças em empresas, organizações, lideranças públicas, órgãos de estado. Quem seguiu as bulas, melhorou, quem não seguiu as recomendações segue com reações colaterais.

Salvador Neto assinará coluna política em jornal catarinense

Com a experiência que já ultrapassa os 30 anos em atividades na política, além das atividades no setor privado e social, o jornalista Salvador Neto assume neste mês de fevereiro a coluna “Palavra Livre” no jornal Folha Metropolitana (https://www.jornaldafolha.com.br), jornal que já circula na região norte de Santa Catarina e agora vai informar também Joinville, a maior cidade do Estado.

Maior pólo industrial catarinense, a cidade está sem a presença de um jornal diário há alguns anos. O espaço é ocupado por alguns periódicos que circulam semanal e mensalmente, mas ainda aquém das necessidades de uma população que gera o maior PIB de SC. Toni Pereira, o empreendedor que está a frente da Folha Metropolitana desde a sua fundação há cinco anos, acredita que o empresariado se ressente de um jornalismo mais ativo e com qualidade editorial.

Salvador Neto já criou dois jornais nos anos 2000 – Mercado de Trabalho e Correio do Trabalho. Escreveu colunas políticas para o Blog Chuva Ácida, o portal SC em Pauta e mantém seu próprio Blog, o Palavra Livre (www.palavralivre.com.br) há 12 anos. Empreendedor nato e muito procurado para assessorar e prestar consultoria em comunicação para atores políticos em Santa Catarina e Brasília, o veterano jornalista conhece como poucos os bastidores do poder e vai contribuir para que a cidade e o norte catarinense tenham informação a altura do tamanho de Joinville.

“Os leitores vão encontrar informações exclusivas, análises sem paixões, com ética e compromisso com o interesse público, e não de alguns públicos. Minha história profissional e pública assinam, antes do meu nome, a credibilidade de quem sempre faz o que sabe fazer com amor e dedicação”, destaca Salvador Neto. Com ele um time de grandes nomes como Jura Arruda, escritor e cronista, Rubão – Rubens Herbst que assinou a coluna Orelhada durante anos no extinto jornal A Notícia, Élton Carvalho, que foi jornalista da RBS TV, o juiz João Marcos Buch, entre outros.

Inicialmente a Folha Metropolitana vai circular mensalmente, e depois quinzenalmente, o que deve acontecer já em março. A primeira edição circula dia 18 de fevereiro. Você vai encontrar a Folha Metropolitana Joinville e Região nos melhores locais da cidade.