Lei Anticorrupção, Compliance e Comunicação: o que tudo isso tem a ver com você?

A nova lei exige uma comunicação de alto nível nas organizações

A nova lei exige uma comunicação de alto nível nas organizações

Você deve estar pensando: o que tem a ver corrupção, compliance (palavra estrangeira) e comunicação? Deve ser um artigo de um louco. Não, não é não! Vamos contextualizar você ao que desejamos com este texto. A Lei Anticorrupção (Lei 12.846/2013) que entrou em vigor no fim de janeiro deste ano, exige do setor privado uma postura ética em relação a seu relacionamento com o setor público. A iniciativa ampara a administração contra práticas fraudulentas e ilegais, além de coibir atos de corrupção e qualquer conduta prejudicial para a administração pública. Coisa séria, seríssima.

Claro que é um avanço para o país, que se vê a todo momento – e agora em tempos de eleições mais ainda – frente a denúncias de casos em órgãos da administração pública em geral que envolvem, logicamente, empresas privadas. Contudo, a lei anticorrupção reforça a importância dos programas de compliance (que quer dizer programa de obediência às leis) criados pelas empresas para combater a corrupção. As que ainda não possuíam trabalhos estruturados nesse sentido, conforme a lei, tiveram seis meses para adotar essas mudanças organizacionais, e treinamento para seus funcionários. E aí é que começa o que desejamos alertar aqui.

Se os processos de comunicação das empresas, tanto internamente (colaboradores, diretores, gerentes, recursos humanos, projetos, vendas, etc) quanto externamente (setores públicos, fornecedores, prestadores de serviços, comunidade, etc), já não são tão efetivos por diversos motivos, o que se pressupões é que as dificuldades, e crises, podem ser ainda mais sérias do que foram até agora. Sim, agora, mais do que nunca a comunicação interna e externa têm de funcionar estrategicamente, planejadamente, e de forma altamente profissional.

Dadas as regras do jogo, é imprescindível que a empresa promova urgentemente um planejamento estratégico de comunicação abrangente, envolvendo todas as áreas do negócio. Todas as mudanças organizacionais previstas pela administração e departamentos jurídicos devem ser observadas, e conhecidas radicalmente, por todas as pessoas do público interno e externo. Ou seja, além de planejar, há que se treinar a todos para o novo mundo que está aí, batendo à porta das organizações. Entendem agora porque unimos no título deste artigo os temas Lei Anticorrupção, Compliance e Comunicação?

Cada novo processo que envolva essa mudança de cultura, a mudança organizacional do negócio, dever ser cuidadosamente comunicada. Cada pessoa, cada público merece um modo de receber tal informação para entender, absorver, compreender, debater e aí sim, colocar tais medidas em andamento. Tudo isso, inclusive o planejamento dos treinamentos a esses públicos, devem ser caprichosamente planejados, para que a execução seja primorosa, e o acompanhamento das métricas e objetivos sejam no mínimo ótimos. Não esqueçam que a lei é duríssima. Portanto, a comunicação tem de ser eficientíssima.

Mesmo assim, tomando-se providências especiais de comunicação para esse novo momento, erros podem acontecer, afinal onde há pessoas, há chance de erros deliberados, ou não. Por isso há que se deixar claro também no planejamento estratégico da comunicação os passos de assessoria de imprensa a serem tomados para estes casos, de extrema crise para a imagem da empresa. Já abordamos o tema em artigo recente (clique aqui). Portanto, se ainda não deu o devido valor à sua comunicação – o que já é um problema – e na sua rede de negócios em algum momento há o setor público envolvido (quase sempre), busque imediatamente aprimorar seus planos na área. Comunicar, treinar e prevenir é bem mais barato que remediar.

* Escrito por Salvador Neto, consultor estratégico em comunicação, planejamento e gestão de comunicação, marketing, assessoria de imprensa, mídias sociais e conteúdo. Tem mais de 20 anos de serviços prestados em assessoria de imprensa em vários segmentos, já enfrentou crises de imagem das brabas, e conhece como poucos a comunicação jurídica no país!

Boa Comunicação = planejamento + investimento

comunicacaoplanejamentosalvadornetoMuitos empresários e empreendedores incorrem no mesmo erro quando saem a campo para tornar seus negócios e produtos conhecidos. O senso comum de que todo mundo conhece de comunicação empurra a todos para perdas financeiras do seu investimento, e por vezes, arranhões irremediáveis na imagem construída, ou que ser quer fazer conhecida. A fórmula correta para atingir seus objetivos de comunicação, ou marketing, como preferir, está na fórmula do título deste artigo.

Em tempos de mudanças radicais na forma de se comunicar, os meios digitais crescem rapidamente como mídias para atingir seus públicos, é importante salientar algumas dicas para que você não jogue dinheiro fora, e mais, faça do seu investimento uma catapulta para o sucesso. Confira:

1 – Planeje, planeje, planeje: antes de colocar dinheiro em materiais gráficos, mídia eletrônica, digital, impressa, sente e planeje com seus líderes. Nada melhor que investir tempo e massa cinzenta nos seus objetivos, públicos que pretende atingir, metas, definir e saber quem e quais são seus concorrentes, entre outros temas importantíssimos. Com base nisso, você saberá mais sobre a sua empresa ou negócio, produto, e detalhes do público, mercado.

2 – Analise os cenários: no processo de planejamento você precisa também olhar para os cenários econômicos, governamentais, políticos, mercadológicos, avaliando todos os dados disponíveis, debatendo com sua equipe a realidade, não o que vocês pensam ou acreditam. Pragmatismo é fundamental nessa hora.

3 – Defina objetivos claros: observe todos os dados postos à mesa, e coloque seus objetivos gerais e específicos de forma direta e clara. Isso deve ser feito com base no que foi captado nos dois passos anteriores, haja vista que tudo deve ser sinérgico, sincronizado com as análises anteriores.

4 – Público alvo: o time também deverá decidir quais são efetivamente seus públicos-alvo, de acordo com os dados colhidos, e adaptados a cada serviço, produto da empresa. Afinal, cada um deles deve ser desejável a um grupo de pessoas, ou empresas. Se forem grandes ou médias empresas, um público. Se forem jovens, idosos, pessoas com deficiência, outros públicos completamente diferentes.

5 – Ações: com base nos públicos-alvo definidos, análises de cenários, objetivos, metas, concorrência, aí sim você poderá decidir o que fazer, como fazer, onde fazer, para quem fazer, de que forma fazer e quando fazer os investimentos em comunicação e marketing. Você se surpreenderá com o aparecimento de tantos canais disponíveis para comunicar. E investirá com muito mais garantia de retorno.

Jamais deixe que a pressa atropele o planejamento estratégico da comunicação. Jamais confie sua comunicação, planejamento e execução a inexperientes, estagiários, porque a forma amadora de fazer negócios leva a prejuízos consideráveis. Com base nesta peça, que deve ser feita de forma participativa com os setores da empresa e seus líderes, seus negócios atingirão os objetivos com uma relação custo-benefício boa e eficaz. Um dos serviços mais procurados pelos clientes da Salvador Neto Comunicação é o plano estratégico. E sabe por quê?

Porque é o caminho correto diante da encruzilhada que o empresário ou empreendedor encontra para viabilizar sua empresa ou produto. Nenhum vento ajuda se você não sabe para onde ir, já diz o velho ditado. Não se deixe levar por visitas de vendedores de mídias, mágicos da propaganda e publicidade. Antes, planeje, planeje, planeje, Avalie, planeje novamente. Você terá muito mais sucesso. Conte conosco!

  • Salvador Neto é jornalista, consultor em comunicação, especialista em planejamento da comunicação, diretor da agência Salvador Neto Comunicação. É editor do Blog Palavra Livre (www.palavralivre.com.br), apresenta o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET Joinville (SC) (www.babitonga.tv.br) e é profissional com mais de 20 anos de atuação na comunicação em diversos setores.