O difícil garimpo da comunicação

Garimpar informações nas empresas ainda é grande desafio

Garimpar informações nas empresas ainda é grande desafio

As informações, pequenos detalhes do negócio, as negociações, conquistas, treinamentos, eventos, e muito mais, são ouro em pó para quem trabalha com assessoria de imprensa e comunicação, consultoria e marketing. Porque é a partir destes pequenos retalhos que se compõe muitas vezes a noticia que precisamos para construir conteúdos de informativos, sites, para fanpages, e nutrir a imprensa e mídia com o que acontece com nossos clientes. Mas para quem pensa que esse garimpo é fácil, está enganado.

Assim como em outras profissões, também no caso das agencias de assessoria de imprensa, comunicação, marketing, é um grande entrave conseguir amealhar esses fatos nas empresas e organizações. Na maioria dos casos, o empresário quer estar nas colunas sociais, de economia, negócios, ou dar entrevistas para os meios de comunicação. E pensa que somente contratando um assessor, agencia, já terá tudo isso. Ele participa do briefing inicial, define que o plano construído será executado, e depois se retira de cena.

Há que se ter um processo comunicativo permanente dentro das organizações. A vontade de expressar o que acontece internamente, as novidades de novos clientes, uma viagem a feiras, ou ganhos de qualidade, ou mesmo de produtividade, devem ser faladas, comunicadas, como se fosse a salvação do negócio. Porque isso tudo não só motiva o time que luta no dia a dia para a conquista de objetivos, mas mantem a coesão e o conhecimento de todos. E sobra para quem precisa: a assessoria de comunicação, que com isso produz a geração e distribuição dos fatos.

Confiança é palavra chave na comunicação. Não pode haver segredos entre diretoria e assessorados, porque saber de tudo e sobre tudo é estratégico para quem comunica e gere a estratégia de comunicação. Isso evita que possíveis crises sejam mortais, promove oportunidades onde parecia não haver nada que reluzisse como ouro. E fundamentalmente melhora e muito o atendimento a clientes e fornecedores, pois com uma equipe bem informada, há cliente bem informado, bem atendido. Isso representa sucesso da empresa.

Então, para que a empresa, o negócio ou a organização ganhem mais, é preciso abrir o mapa dos tesouros – os fatos, informações atuais, futuras e até que já passou – facilitando o garimpo dos profissionais de comunicação. Segredo é bom, mas para manter a concorrência desorientada, nunca seus assessores de confiança.

* Salvador Neto é jornalista, consultor em comunicação, especialista em planejamento da comunicação, diretor da agência Salvador Neto Comunicação. É editor do Blog Palavra Livre (www.palavralivre.com.br), apresenta o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET Joinville (SC) (www.babitonga.tv.br) e é profissional com mais de 20 anos de atuação na comunicação em diversos setores.

A assessoria de imprensa 2.0

Assessoria de imprensa cada vez mais profissional exige capacitação digital

Assessoria de imprensa cada vez mais profissional exige capacitação digital

Um dos profissionais mais requisitados por empresas e organizações para gerenciar e produzir conteúdos dos seus negócios, e mediar as relações com a mídia, é o assessor de imprensa. Cargo geralmente ocupado (e deveria ser assim sempre) por jornalistas formados e diplomados é daquelas funções de confiança imprescindíveis para a gestão das empresas. Por quê? Porque gerir comunicação interna, externa, com stakeholders, sociedade, público e ainda com a mídia é o coração dos negócios. Quem ainda não descobriu isso, ou não apostou, corre sérios riscos.

Antes função que exigia dos jornalistas assessores a busca por notícias da empresa, a pesquisa, elaboração dos textos e envio de relises (texto redigido em formato jornalístico) aos colegas dos meios de comunicação tradicionais, hoje exige muito mais. Nos tempos atuais em que o digital ocupa corações e mentes da sociedade, e muito mais dos meios tradicionais da mídia com jornais, TVs e rádios, a assessoria de imprensa vai mais além. Ela precisa hoje estar conectada nas redes e mídias sociais; interagir com os públicos do cliente e jornalistas de redações de portais e sites noticiosos, colunistas, em tempo real. Uma transformação gigantesca.

A assessoria de imprensa moderna precisa oferecer além do presencial e físico, a consultoria na otimização da busca orgânica (SEO), criar podcasts, áudios de entrevistas com seus assessorados para disponibilizar as rádios o conteúdo, produzir vídeos-relises, apresentações para as mídias disponíveis como Youtube, Facebook, Slideshare, ou seja, construir um novo relacionamento com os meios de imprensa, cada vez mais enxutos em suas redações, e mais exigentes ao preencher seus espaços noticiosos seja nos meios impressos ou digitais. Mais que um executor capacitado, o assessor de imprensa ou assessoria de imprensa precisa ser um magnífico gestor, consultor e estrategista em todos os meios, notadamente o digital.

Além da inteligência e do ótimo texto redigido tecnicamente, objetivo, claro, conciso, a assessoria de imprensa moderna exige novas capacidades dos profissionais e empresas prestadoras deste serviço: a capacitação para uso das ferramentas digitais aliada à visão estratégica dos mercados em que seus clientes atuam. E mais que nunca é preciso planejar com ainda mais competência para identificar os problemas de comunicação, as oportunidades que representam, para sobreviver no segmento de assessoria, e ganhar a confiança das empresas. Assessoria de imprensa que já era fundamental aos negócios, passa a ser prioridade a todas as empresas que desejam o topo.

* Salvador Neto é jornalista, consultor em comunicação, especialista em planejamento da comunicação, diretor da agência Salvador Neto Comunicação. É editor do Blog Palavra Livre (www.palavralivre.com.br), apresenta o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET Joinville (SC) (www.babitonga.tv.br) e é profissional com mais de 20 anos de atuação na comunicação em diversos setores.

Marketing Digital: O conteúdo é rei!

Não basta estar no meio digital, tem de estar de forma profissional

Não basta estar no meio digital, tem de estar de forma profissional

Com o crescimento cada vez mais acentuado no uso da tecnologia, e da internet por excelência, fazer marketing digital se tornou fundamental para o sucesso nos negócios. Estar na rede internacional é estar vivo, ativo, participante do mundo dos negócios de forma moderna, atraente, e gerando negócios a partir de sua aldeia para um espaço mercadológico sem fronteiras. Mas não basta apenas criar um site, e estar presente em mídias sociais como Facebook, Linkedyn, YouTube e outros.

Muitas empresas pensam que entrar na rede com qualquer site, estático, feito por criadores de sites a distancia, ou mesmo em plataformas pré-concebidas, já basta. Minha vida na comunicação me diz que não, pois executei vários projetos na área. Primeiramente, é preciso planejar, como já dissemos em post anterior (clique aqui). Compreender todos os cenários, públicos, dados, relacioná-los, e aí sim, decidir quais ações e ferramentas utilizar. Senão, são tempo e dinheiro perdidos.

Mais ainda que isso, mesmo você acertando os passos de planejamento, escolhendo as mídias aonde vai estar ativo e atuante, é preciso profissionalismo na geração do conteúdo e na gestão destes meios de comunicação digitais. Há que se ter uma estratégia clara de conteúdo, e não deixar nas mãos de estagiários, ou funcionários de algum setor da empresa, a responsabilidade tanto da gestão quanto da geração do conteúdo. Erros nas mídias tradicionais já são traumáticos, imaginem na esfera digital! Um desastre completo!

Nada contra estagiários, mas o que se quer ilustrar é que o conteúdo a ser publicado e distribuído em nome da empresa tem de ser delegado a profissionais experientes, especializados, conhecedores do contexto e hábeis escritores. Escrever é algo misterioso para escritores, e algo tão sério que há profissões como jornalistas, redatores, preparados para dar sentido ao que vai ao papel ou tela, ou mídias sociais e sites. Estagiários podem sim executar, desde que monitorados por estes profissionais.

Os textos devem ser produzidos por profissionais do texto, capacitados na pesquisa, ordenamento, escrita, e sentido ao tema proposto. Além disso, de um conteúdo “rei”, é preciso o monitoramento das participações de clientes, público, fornecedores, respondendo dúvidas, gerando negócios… Portanto, antes de entrar no mundo digital, pense bem, encontre parceiros conhecedores do tema, e aí, sim entre com firmeza e profissionalismo. Aí é caminho certo para bons negócios.

* Salvador Neto é jornalista, consultor em comunicação, especialista em planejamento da comunicação, diretor da agência Salvador Neto Comunicação. É editor do Blog Palavra Livre (www.palavralivre.com.br), apresenta o programa de entrevistas Xeque Mate na TV Babitonga Canal 9 da NET Joinville (SC) (www.babitonga.tv.br) e é profissional com mais de 20 anos de atuação na comunicação em diversos setores.